O segundo dia do VII Encontro de Pedagogia, Diversidade e Educação na Amazônia reuniu palestras, oficinas e debates na Faculdade Integrada Brasil Amazônia – FIBRA, na última sexta-feira, 18. Os alunos das Licenciaturas Integradas apresentaram banners de ética, diversidade e direitos humanos. Dentre os temas foram abordados, Direitos à saúde, Direito á Terra, Direito à Moradia, Direitos Quilombolas e dentre outros.

Durante o evento, o público participou também das palestras em que debateu a “Formação do Professor para a Diversidade”, além da “Base Nacional Comum Curricular”, que colocou em pauta a importância das aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas da Educação Básica. Além disso, os discentes do 3º semestre organizaram uma programação para o público infantil, com contação de histórias, oficina de jogos, brinquedos e brincadeiras.

Stefany Rocha, aluna do 3° semestre de Pedagogia apresentou diversos jogos, como jogo do encaixe, jogos com cores e sons de animais, jogo da matemática, atividade lúdica e jogos de circuito para as crianças. “Trouxemos diversos jogos, brincadeiras e animações de acordo com a faixa etária de cada um. E o mais importante é que as crianças estão gostando”,completou.

O encontro foi encerrado com a caixa lúdica, que destacou os brinquedos e brincadeiras das crianças ribeirinhas. A apresentação mostrou teatro, dança, expressão corporal e palavra cantada em que contou a história de uma senhora, que fala sobre a maniçoba Pai D`Égua. Dentro desse contexto, a brincadeira trouxe a reflexão de desconstruir o individualismo, a fim de desenvolver um objetivo em grupo. A caixa lúdica ainda mostrou brincadeiras de roda, amarelinha, cantigas e teatro com jogos das décadas de 70 até os dias atuais. 

A caixa lúdica foi coordenada pela Profª Márcia Bandeira, que ressaltou que essas apresentações são essenciais para que o aluno tenha vivência do lúdico, da brincadeira, expressão corporal e cultura. “Os alunos, por meio dessa atividade tem a oportunidade de apoderar-se do lúdico, ele mostra esse ser criança que está inserido em todos nós. O lúdico traz esse sentindo do brincar, do prazer, sobretudo de reconstruir o brincar de forma acadêmica”, explicou.